Biografia

No dia 31 de janeiro de 1984, na cidade de Santo André-SP, nascia Wilson Rodrigues de Moura Júnior, filho de Wilson Rodrigues de Moura e Creusa Mendes dos Santos Rodrigues de Moura.

Com apenas três anos de idade, Wilson mudou-se para o Rio de Janeiro-RJ com sua família, onde permaneceu até os 23 anos.

FUTSAL – ONDE TUDO COMEÇOU

Em 1994, em um amistoso entre o time do seu prédio e o Brás de Pina Country Clube, Wilson foi um dos destaques da partida sendo convidado na seqüência, para fazer parte da equipe do Brás.

Já na metade do ano, devido ao excelente desempenho, Wilson recebeu um convite do Fluminense-RJ onde acabou permanecendo até 1995, conquistando o seu primeiro titulo estadual.

Ainda no futsal, Wilson passou pelas equipes do Tio Sam (1996), Social Ramos Clube (1997), Vasco da Gama (1998), Clube dos Subtenentes e Sargentos do Exército (1999) e no Clube de Regatas do Flamengo (2000 a 2003), conquistando vários títulos, sempre sendo destaque, e inclusive, marcando muitos gols.


FUTEBOL DE CAMPO

Sua primeira experiência no futebol de campo foi em 1995 quando a convite do Maneco, pai de Nélio que jogava futsal com Wilson no Fluminense-RJ e que mais tarde também seria jogador profissional do Flamengo-RJ.

O teste aconteceu em Santa Cruz da Serra, onde a categoria de base do Flamengo treinava na época, e mesmo não sendo acostumado a jogar futebol de campo, acabou se destacando no primeiro dia de treinamento, defendendo uma penalidade máxima e sendo aprovado no mesmo dia.

Apontado como um jogador diferenciado nas categorias de base do rubro negro, Wilson firmou o seu primeiro contrato profissional com o Flamengo-RJ em 2001.

Depois de continuar mantendo o bom desempenho dos últimos anos, Wilson foi emprestado à Portuguesa-RJ para a disputa do Campeonato Carioca da 1ª Divisão em 2006.

Na seqüência, ainda em 2006, Wilson foi novamente emprestado, desta vez para o Olaria-RJ, onde disputou o Campeonato Carioca da 2ª Divisão.

NASCENDO UM ÍDOLO

Após retornar ao Flamengo-RJ, no início de 2007, Wilson recebeu um convite de Anderson Barros, na época gerente de futebol do Figueirense-SC e que havia trabalhado com o goleiro nas categorias da base do Flamengo-RJ, para atuar na equipe catarinense naquele ano.

Sem chances na equipe titular, Wilson solicitou à diretoria que o liberasse para acertar seu empréstimo para o Figueirense-SC entendendo que seria uma boa oportunidade profissional, já que teria mais chances de atuar, além da boa estrutura de trabalho oferecida pela equipe catarinense.

ESTREIA COM GOLEADA SOBRE MAIOR RIVAL

Sua contratação chegou a causar desconfiança por parte da torcida alvinegra, mas após a sua estreia, no dia 14 de fevereiro de 2007, quando o Figueirense-SC goleou o Avaí-SC pelo placar de 3×0, Wilson iniciou uma relação muito forte com o clube e com a torcida alvinegra.

Apesar de não ter feito uma boa campanha no campeonato estadual, o Figueirense-SC chegou à inédita final da Copa do Brasil. Depois de empatar a primeira partida no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, pelo placar de 1×1, o Figueirense-SC acabou sendo derrotado pelo Fluminense-RJ por 1×0 no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, deixando escapar a chance de conquistar o primeiro título nacional da sua história.

PRIMEIRO TÍTULO COMO PROFISSIONAL

No ano seguinte, depois de ter renovado seu empréstimo com o Figueirense-SC, Wilson chegou ao seu primeiro título como profissional, sagrando-se campeão catarinense de 2008, sendo eleito o melhor goleiro do campeonato.

MOMENTOS MARCANTES NA CARREIRA

Ainda em 2008, Wilson passou por um dos momentos de maior dificuldade na carreira, quando acabou rebaixado para a 2ª divisão do Campeonato Brasileiro com o alvinegro.

Mesmo assim, Wilson foi o goleiro que realizou o maior número de defesas difíceis naquela competição.

No dia 07 de agosto de 2008, na derrota para o Botafogo-RJ por 2×0, no estádio Orlando Scarpelli, o goleirão alvinegro alcançou a marca de 100 jogos com a camisa do Figueirense, sendo o primeiro jogador da história do clube a atuar em uma partida oficial com uma camisa personalizada (nº100).

ÍDOLO DA TORCIDA ALVINEGRA, E CONHECIDO COMO GOLEIRO GAVIÃO

Um dos maiores ídolos do Figueirense-SC, Wilson reafirmou seu comprometimento com o clube e após o rebaixamento, rescindiu com o Flamengo-RJ e assinou um novo contrato com a equipe catarinense até o final de 2011, assumindo o compromisso de levar o alvinegro de volta à elite do futebol brasileiro.

Com grandes defesas e com o carisma que sempre tratou a torcida alvinegra, Wilson recebeu o apelido de Gavião, sendo homenageado pelos fiéis apaixonados com o grito de guerra “Não é mole não, o meu goleiro voa como um Gavião”.

GOLEIRO ARTILHEIRO

No dia 17 de julho de 2009, na vitória do Figueirense-SC por 3×1 sobre o Vila Nova-GO, Wilson marcou o seu primeiro gol na carreira.

Após grande jogada, o lateral esquerdo Egídio sofreu penalidade máxima. Depois do pedido da torcida, Wilson foi autorizado pelo treinador Roberto Fernandes e converteu a cobrança com perfeição.
Ainda em 2009, no dia 31 de julho, na derrota de 4×2 para o Campinense-PB, o goleiro Wilson, em nova cobrança de penalidade, marcou o seu segundo gol com a camisa do Figueirense-SC.

Naquele ano, o Figueirense-SC acabou a competição na 6ª colocação, há cinco pontos da promoção à Série A.

PRIMEIRO GOL DE FALTA

Wilson sempre mostrou muita habilidade com os pés, passando a treinar cobranças de falta no seu dia a dia.

O resultado veio no dia 27 de março de 2010. O Figueirense-SC vencia a equipe do Juventus-SC pelo placar de 4×0 quando surgiu a oportunidade de uma falta na entrada da área. Novamente a torcida pediu para Wilson efetuar a cobrança e com precisão, marcou o último gol da vitória alvinegra por 5×0.

Devido ao grande desempenho, Wilson foi eleito pela segunda vez (2008 e 2010) o melhor goleiro do Campeonato Catarinense.

Pelo Campeonato Brasileiro da Série B, na noite do dia 13 de julho de 2010, Wilson completou a marca de 200 jogos com a camisa alvinegra, na vitória sobre o Vila Nova-GO por 2×0, sendo homenageado com a camisa nº 200 no jogo seguinte diante do Santo André-SP, quando o alvinegro empatou pelo placar de 2×2.

Atualmente Wilson é o segundo goleiro que mais vezes vestiu a camisa do Figueirense, atrás apenas de Peçanha (304 jogos), que é o atual preparador de goleiros do clube.

RETORNO À SÉRIE A DO CAMPEONATO BRASILEIRO

O ano de 2010 começou com muitas incertezas no Figueirense Futebol Clube. Mudança de Diretoria, desconfiança da torcida e um campeonato catarinense irregular, no qual o clube alvinegro não conseguiu chegar às finas da competição.

Após a chegada do treinador Márcio Goiano, capitão do acesso do Figueirense em 2001, a equipe catarinense evoluiu dentro de campo e os resultados começaram a aparecer.

Num início de Série B empolgante, com ótimos resultados fora de casa e muitas goleadas dentro de estádio Orlando Scarpelli, o Figueirense se credenciava a uma das quatro vagas à Série A do Campeonato Brasileiro.

Com uma campanha regular, o Figueirense terminou a competição com 67 pontos, garantindo o vice campeonato, ficando atrás apenas do Coritiba/PR com 71 pontos.

A campanha geral foi de 38 jogos, 19 vitórias, 10 empates e apenas 09 derrotas, obtendo o segundo melhor ataque, com 68 gols, e sendo a melhor defesa com apenas 37 gols sofridos.

Wilson foi eleito um dos três melhores goleiros da competição e realizou o sonho de retornar à Série A após a tristeza do rebaixamento em 2008.

TEMPORADA 2011

No campeonato catarinense 2011, o Figueirense acabou não participando das finais. No primeiro turno, perdeu o título dentro do estádio Orlando Scarpelli para o Criciúma, que venceu por 1×0, com um gol de falta anotado por Mika. Já no segundo turno, o Figueirense acabou sendo eliminado na semifinal pelo Avaí, também no estádio Orlando Scarpelli, perdendo pelo placar de 2×0.

Mesmo não chegando às finais, Wilson ficou entre os três melhores goleiros da competição, recebendo o troféu de bronze, além de ser eleita a defesa menos vazada com 24 gols sofridos em 21 jogos disputados, na festa de premiação dos melhores jogadores do Campeonato Catarinense 2011.

No retorno ao Campeonato Brasileiro da Série A, o Figueirense largou com uma grande vitória sobre o Cruzeiro/MG, por 1×0, com atuação destacada de Wilson, que acabou sendo eleito o melhor goleiro da rodada.

ALCANÇANDO MAIS UMA MARCA HISTÓRICA – 250 JOGOS

No empate de 1×1 contra o do Vasco da Gama/RJ, pela 4ª rodada do Brasileirão, Wilson alcançou a marca de 250 jogos com a camisa do Figueirense, sendo homenageado pela diretoria alvinegra na partida seguinte, contra o Atlético-PR, vencida pelo alvinegro pelo placar de 2×0, no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis.

Os ex companheiros de clube Chicão (Corinthians), Filipe Luís (Atlético de Madrid), Felipe Santana (Borussia Dortmund) e Carlinhos (Iraklis), que estavam no estádio Orlando Scarpelli, participaram da homenagem, entregando uma placa com os dizeres:

Wilson Rodrigues de Moura Júnior,

Identificação e compromisso com o Figueirense. Características que fazem deste atleta um grande ídolo da nação alvinegra.

Este é o reconhecimento pelos 250 jogos completados com a camisa do Figueirense Futebol Clube.

Somente grandes atletas alcançam esta marca.

No restante da temporada, Wilson foi um dos destaques da equipe catarinense no Brasileirão 2011, brigando por uma vaga na Copa Libertadores da América até as últimas rodadas.

Com 58 pontos, o Figueirense terminou o Campeonato Brasileiro na sétima colocação, com uma das melhores campanhas da sua história na competição nacional.

2012 – ANO DOS RECORDES

Após ter realizado um excepcional Campeonato Catarinense, vencendo os dois turnos da competição, a equipe do Figueirense Futebol Clube acabou derrotada na grande final pelo Avaí.

Na primeira partida, derrota por 3×0 no estádio da Ressacada. No segundo confronto nova derrota, desta vez pelo placar de 2×1.

300 JOGOS

Na partida de ida das semifinais contra o Joinville, o goleiro Wilson completou 300 jogos com a camisa do Figueirense. A partida foi disputada na Arena Joinville terminando com um empate por 1×1, mesmo após o clube alvinegro ter perdido o volante Túlio expluso ainda na primeira etapa.

Na partida de volta, no Estádio Orlando Scarpelli, o goleiro Wilson foi homenageado pela diretoria e atuou com a camisa de número 300. Na oportunidade, o Figueirense venceu a partida pelo placar de 3×1.

MELHOR GOLEIRO DO ESTADO PELA TERCEIRA VEZ

Mesmo sem ter conquistado o título catarinense, Wilson foi eleito pela imprensa esportiva do Estado de Santa Catarina, o melhor goleiro do campeonato pela terceira vez em seis temporadas. O goleiro já havia conquistado tal feito em 2008 e 2010.

ESTREIA NA SÉRIE A COM MAIS UM RECORDE

No dia 19 de maio, na estreia do Figueirense no Campeonato Brasileiro da Série A, contra o Náutico/PE, o goleiro Wilson alcançou mais uma marca histórica com a camisa do Figueirense.

Ele chegou ao seu jogo de número 304, igualando a marca do seu atual preparador de goleiros, Peçanha, como o goleiro que mais vezes defendeu o clube em toda a história.

A partida, que foi disputada no Estádio Orlando Scarpelli, terminou com a vitória do Figueirense pelo placar de 2×1, com gols de Fernandes e do estreante Caio.

Nessa mesma partida, Wilson lesionou o joelho direito ficando afastado da equipe por três rodadas.

GOLEIRO QUE MAIS VEZES VESTIU A CAMISA DO FIGUEIRENSE

O seu retorno foi na derrota para o Cruzeiro, por 1×0, no estádio Independência, quando se tornou o goleiro que mais vezes vestiu a camisa do Figueirense em seus 91 anos de história.

A homenagem aconteceu na partida seguinte, no empate contra o  Bahia, no estádio Orlando Scarpelli, quado recebeu uma placa comemorativa à marca alcançada.

A sequência da temporada não foi positiva. Brigas políticas e problemas financeiros acabaram culminando com o rebaixamento da equipe catarinense para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro.

O FIM DO CICLO NO FIGUEIRENSE

No dia 14 de novembro de 2012, faltando três rodadas para o fim do Brasileirão, Wilson foi comunicado pelo novo coordenador de futebol do clube que, mesmo tendo contrato até dezembro de 2014, não faria parte do elenco para a próxima temporada.

A DESPEDIDA

A despedida oficial aconteceu no dia 27 de novembro, em uma concorrida entrevista coletiva realizada num hotel de Florianópolis, que contou com a presença de outro grande ídolo da história do clube, o meio-campo Fernandes.

Insatisfeitos com o tratamento dispensado aos dois ídolos recentes do Figueirense, os torcedores se organizaram e promoveram um grande jogo de despedida com a participação de Wilson e Fernandes, além de torcedores que foram sorteados no site Meu Figueira.

Wilson encerrou seu ciclo no Figueirense com 331 jogos disputados, com 144 vitórias, 87 empates e 100 derrotas, totalizando 52,26% de aproveitamento dos pontos disputados, tornando-se o goleiro que mais vezes vestiu a camisa do Figueirense, ultrapassando a marca do preparador de goleiros Peçanha, que possui 304 partidas, e o quinto jogador que mais atuou pelo clube em seus 91 anos de história, atrás apenas de Pinga (483), Casagrande (430), Fernandes (403) e Balduíno (335).

UMA NOVA HISTÓRIA

Após se desligar oficialmente do Figueirense, Wilson foi contratado pela equipe do Vitóriaapresentação2 para as disputas do Campeonato Estadual, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro da Série A.

O arqueiro foi apresentado no dia 27 de fevereiro de 2013, no Centro de Treinamento da equipe baiana, e iniciou  os treinamentos para a nova temporada.

 

 

A ESTREIA NO LEÃO

960181_10201065078367309_1746495917_nTreinando forte desde a sua chegada no clube baiano, Wilson recebeu sua primeira oportunidade na partida de ida da Copa do Brasil contra o Salgueiro, no dia 15 de maio de 2013.

Com grandes defesas, Wilson foi apontado como um dos melhores jogadores em campo, ajudando a equipe a sair do interior de Pernambuco com um empate sem gols.

 

 

 

 

 

CAMPEÃO BAIANO 2013

No dia 19 de maio, quatro dias depois da sua estreia, Wilson esteve em campo944199_516677248394350_660017378_n novamente na grande decisão do Campeonato Baiano, contra o Bahia.

Deola, o goleiro titular da equipe durante a competição estadual, se lesionou na véspera

da decisão abrindo espaço para Wilson continuar na meta titular. No jogo de ida, o Leão havia vencido pelo incrível placar de 7×3. Com o empate por 1×1 no jogo da volta, o Vitória conquistou o seu 27º título estadual e Wilson levantou o seu primeiro caneco pelo Rubro-Negro.

DESTAQUE NO BRASILEIRÃO

 

defendeuCom a lesão de Deola, Wilson ganhou a posição e com exibições convincentes conquistou a titularidade da meta do Vitória no restante da temporada. O arqueiro, que teve seu contrato renovado por mais dois anos, acabou se tornando um dos jogadores mais assediados do elenco baiano fechando o ano como o goleiro que mais realizou defesas difíceis no Campeonato Brasileiro da Série A, com 81 intervenções.